Pharrell Williams: Pra Lá de Feliz

pharrell-williams

(Curta mais da série 2014 Define no Música Pavê)

Desde 2013, muito se fala e se escuta o nome de Pharrell Williams por aí. Não é por menos, já que o cara foi responsável por, pelo menos, três dos maiores sucessos dos últimos dois anos – eu, particularmente, coloco um como o hit de 2013 e outro como o de 2014. Quem não ficou contagiado com as batidas de Get Lucky, do duo Daft Punk, e Blurred Lines, do cantor Robin Thicke, e quem nunca cantou o refrão de Happy, do próprio Williams, que atire a primeira pedra. E é por isso Pharrell Williams definiu 2014.

Sim, sabemos que ele é um dos nomes mais celebrados da música pop nos últimos dois anos – se não for “o” nome. Entretanto, a carreira do cantor, produtor e compositor não começou agora, há tempos ele atua como produtor de músicas que fizeram sucesso em discos de outros artistas e há quase dez anos lançou seu primeiro álbum solo. E, desde então, vem sendo premiado por seus trabalhos.

Por que só agora então Pharrell chegou ao topo do mundo? Talvez seja porque, agora, ele coloca seu rosto à frente das câmeras e sua voz nas canções, ao invés de ser o coadjuvante ao lado de um grande artista. Mas, antes de chegar à era de Get Lucky e de Happy, vamos relembrar alguns sucessos que Williams já fez ou colaborou de alguma maneira.

O primeiro trabalho mais relevante talvez tenha sido com Britney Spears, em 2001, com a sensual faixa I’m a Slave 4 U – e aquele famoso e, também sensual, videoclipe no qual Britney finalmente se despe da fama de boa moça criada anteriormente sobre sua imagem. Um ano depois, em 2002, também com um artista que estava começando uma nova etapa, Pharrell foi um dos responsáveis pelo álbum de estréia de Justin Timberlake, Justifield. Em 2003 ele trabalhou no single Beautiful, do rapper Snoop Dogg – que conta com um clipe gravado no Rio de Janeiro.

A parceria entre os dois ainda tem outro grande hit, o hip hop Drop It Like It’s Hot, lançado em 2004. No mesmo ano, ele compôs e produziu a primeira faixa solo de Gwen Stefani, vocalista do No Doubt. Hollaback Girl é revestida de respostas que a cantora queria passar para crítica e, principalmente, para Courtney Love.

Vale ressaltar e dar os devidos créditos ao parceiro de produção de Pharrell, Chad Hugo. Os dois assinam, juntos, estas e outras produções com o nome de The Neptunes. A dupla ainda trabalhou com Madonna, Jay-Z, Shakira, Beyoncé e por aí vai.

Até que vieram Get Lucky, Grammy, o chapéu de Williams na premiação – estilo puro -, Happy, um segundo álbum solo – G I R L, lançado em 2014 e que, além de Happy, tem a ótima Come Get It Bae (com participação de Miley Cyrus) –, mais indicações para o Grammy e, por último, o Lollapalooza Brasil em 2015.

O anúncio de Pharrell Williams como um dos headliners da edição brasileira do Lolla, em São Paulo – e também o da Argentina -, deixou muita gente por aqui surpresa e, até mesmo, revoltada. Seja pelo estilo musical, seja pelo fato de muitos acharem que ele ainda não merece o posto de atração principal, uma leva enorme de tuiteiros e blogueiros deram suas opiniões em redes sociais.

Contudo, o fato é que Pharrell Williams foi alçado, finalmente, ao posto de estrela do mundo da música. Gostem ou não dele, é impossível negar a trajetória e o sucesso do cantor, produtor e artista mais feliz da atualidade. O jeito é esperar para ver qual a impressão que ele vai deixar no país após o festival. A expectativa é boa.

Curta mais de Pharrell e da série 2014 Define no Música Pavê

Shuffle

Duas noites com James Blake
A experiência de ver o músico tocando em duas situações distintas - como DJ e ao vivo - no mesmo fim-de-semana não muda apenas a maneira de percebermos seu som, mas nos dá um novo olhar sobre a música
The Kills - Heart of a Dog
Alison e Jamie são vistos sob uma estética de "colagem" de cenas aleatórias que parece evocar o espírit da linguagem dos videoclipes de décadas atrás, com direção de Sophie Muller
Metronomy - Old Skool
Uma festa em casa e uma anfitriã quimicamente alterada servem de amparo visual a uma faixa que nos relembra o talento que o grupo britânico tem de brincar com preenchimento sonoro

Curtiu? Comente!

Comments are closed.

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com