¡Que Guapo! Entrevista – El Petit de Cal Eril

Eram quase 19h e eu estava na praça do Palau de la Música catalã esperando por Joan Pons, do El Petit de Cal Eril. Havia passado a tarde ouvindo seu segundo disco Vol i Dol (“Voo e Duelo”) e a curiosidade para conhecer o criador daquelas elegantes canções era enorme. As expectativas foram superadas. Pons é cativante. Conversamos sobre a vida, a morte, o mercado de música catalã e Milton Nascimento.

MúsicaPavê: Em Vol i Dol você nos apresenta uma atmosfera liricamente cruel. Há muita dor e muita força. Lembrei-me da ave Fênix. Como foi o processo de criação deste disco?

Joan Pons: Muito rápido. Decidi parar de fazer shows com I Les Sargantanes al Sol, tirei umas curtas férias e em setembro comecei a compor. Tinha uma canção pronta, a Partícules de Deu I. As outras foram resultado de dedicação matutina.

MP: Vol i Dol foi gravado em um estúdio, I Les Sargantanes foi gravado na cozinha da sua casa (Pons também é técnico de som). Como essa mudança influenciou o resultado técnico e artístico?

Joan: Na verdade gravar no estúdio foi quase como gravar em casa, porque eu escolhi um estúdio muito perto de onde moro, de um amigo, que fica em uma casa de campo. Mas gosto de gravar em casa, com certeza o próximo disco será gravado em casa.

MP: A morte e o inexplicável são temas centrais neste álbum. O refrão de Cendres, por exemplo, é a frase de boas vindas de um cemitério: “Sou el que nosaltres érem! Sereu el que nosaltres som” (“São o que nós éramos! Serão o que nós somos!”). Por que falar sobre a morte?

Joan: Eu não pretendia falar sobre a morte, não tinha consciência de que estava falando sobre a morte. Percebi que este era um tema central do disco quando comecei a dar entrevistas e as pessoas me perguntavam isso. Queria fazer questionamentos, sobre a vida, sobre coisas minhas, e acho que a morte funcionou como uma ligação entre essas perguntas.

MP: Nas canções Decapitació I e II você usa poemas do importante poeta catalão Pere Quart. Você gosta de ler?

Joan: Sim, gosto muito de ler. Porém não costumo ler poesia. Essas poesias foram minha irmã que me mostrou casualmente. Prefiro ler novelas; leio autores catalães e outros bons escritores.

MP: E o que encontraríamos no seu MP3 player?

Joan: Hoje ele tem muita coisa da Joanna Newsom! (Pons foi ao show de Newsom logo depois da entrevista).

MP: O primeiro videoclip de Vol i Dol é da canção Cau la neu (“Cai a neve”). Você participou da concepção do clipe?

Joan: Não. Quem teve a ideia e o produziu foi David Paco, o baixista da banda. Acho que o videoclip não tem nada a ver com a música, mas é uma interpretação possível e ficou bom.

MP: E a capa do disco, quem fez?

Joan: Com isso fui extremamente exigente. A capa é um desenho feito pelo meu pai. Queria algo limpo, só com essa imagem. Gosto da sua ambiguidade. Há gente que vê uma velha, eu vejo pedaços de tronco, já me disseram que vêem um homem grávido.

MP: A música catalã está vivendo um “renascimento folk”. Quais fatores contextuais estão incentivando essa geração que inclui El Petit?

Joan: Não sei. Não sei se há uma explicação. Talvez foi um golpe de ar (risos). Talvez simplesmente perdemos o medo de cantar em catalão.

MP: Por que a música catalã tem dificuldade para se expandir pela Europa e pelo mundo?

Joan: Somos um país pequeno, e existem todas as barreiras impostas por programadores e discográficas. As dificuldades são essencialmente práticas.

MP: Você conhece algo de música brasileira?

Joan: Sim! Ouço muita música brasileira: Vinícius, Milton, Caetano, Mutantes, Chico. Milton Nascimento foi uma referência importante para Vol i Dol. Quando me disseram que havia uma entrevista para um site brasileiro, pensei “me descobriram, identificaram a influência de Milton Nascimento!” (risos).

MP: Como você apresentaria El Petit de Cal Eril ao público brasileiro?

Joan: Um Milton Nascimento “à la catalana”!

Cau la Neu

Leia mais da coluna ¡Que Guapo!

Dani, tá AWESOME

tenho dúvidas: o CD é dele solo ou do El Petit? eu achei uma coisa, depois achei outra e achei melhor te perguntar hehehe

outra: vc tinha comentado alguma coisa sobre ele ainda não ter dado muitas entrevistas sobre o CD, é isso? ou eu que to viajando?

Shuffle

Curtiu? Comente!

One Comment on “¡Que Guapo! Entrevista – El Petit de Cal Eril

  1. Pingback: ¡Que guapo! En vivo: Premis Enderrock 2011 | Música Pavê

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com