2017 e os Artistas que Já Conhecemos

2017 certamente foi um ano recheado de destaques positivos para a música, tanto no Brasil, quanto fora. Assim como nos últimos anos, tivemos ótimos discos, músicas e clipes de artistas que têm muito a oferecer. Algo que nos chamou atenção em especial nestes doze meses – e que permeia nossas listas #Destaque2017 – é a confirmação de artistas e bandas que já possuem um sucesso de público e crítica e retornaram – ou se mantiveram no topo – com grandes trabalhos.

Lorde, Kendrick Lamar, Mallu Magalhães, Far From Alaska, St. Vicent, Paramore, Anitta – só para citar alguns – são nomes que nós conhecemos e admiramos há um tempo. Mesmo com as estreias solo de Harry Styles e Tim Bernardes, por exemplo, o sentimento que fica é de familiaridade. Aquela que nos faz notar que, mesmo com o passar dos anos, o que é bom tem um espaço grande em nossas vidas.

Isso não quer dizer que não temos novidades – afinal, sempre há espaço para novos talentos como Sofi Tukker –, mas, pelo modo como enxergamos a música, essa grande presença de artistas que já se destacaram anteriormente pode ser um indicativo da consolidação de mercado e das novas fórmulas que acompanhamos mundo afora. Há anos – uma, duas décadas, talvez? –, estamos vendo todo processo de produção, lançamento e consumo de música mudar de maneira contínua e, por muitas vezes, em grande velocidade, tanto por parte do mercado quanto do público. O velho modelo de álbum + turnê não foi totalmente extinto, no entanto outras possibilidades se abriram, como a produção de singles e clipes em uma peridiocidade maior. O exemplo do ano é Anitta e seu projeto CheckMate ao lançar uma novidade por mês. O mais importante é não ter apenas uma fórmula, mas, sim, um leque gigantesco de opções.

Agora, preste bem atenção nos nomes em que citamos: tanto Lorde quanto Mallu possuem uma liberdade muito grande para se expressarem de maneira criativa e consciente, a qual retrata a vida que cada uma tem naquele determinado momento. Kendrick Lamar e Anitta, por exemplo, são dois artistas que se posicionam de forma clara, levando ao mainstream questões que antes ficavam restritas a um círculo menor da sociedade. A autonomia em criar, produzir e lançar músicas, álbuns e clipes faz com que a quantidade de material extremamente relevante seja maior. É só ver clipes como Humble (Kendrick Lamar), Não Espero Mais (O Terno) ou A Volta pra Casa (Rincón Sapiência) para notar que a liberdade de criação é fator decisivo para a qualidade destes trabalhos. Cada um dentro do que foi proposto, faz um retrato muito atual da obra destes artistas e do mundo em que eles estão inseridos, seja por meio de uma crítica direta a sociedade seja de uma maneira bem-humorada.

Vale dizer também que, além de da possibilidade de conhecer diversos artistas novos, hoje em dia é muito fácil ouvir apenas o que nós queremos e nos identificamos. 2017 viu as playlists tomarem um espaço muito grande nos serviços de streaming, o que, certamente, ajuda a popularizar ainda mais os artistas que já são queridos por uma parcela do público. A consolidação vem para atestar que todo trabalho bem feito que está sendo produzido – no mainstream ou no midstream – só tende a crescer e dar ainda mais condições para que bandas e artistas explorem novos caminhos e possibilidades sem ficarem presos a uma só fórmula do mercado.

Curta mais do especial #Destaque2017 no Música Pavê

Shuffle

Sinta o Pulso: Psy, Vida Doce!
Anna Rinaldi sente cada pulsação hipersensorial da música eletrônica em novo texto de sua coluna semanal no Música Pavê
Coldplay - Hurts Like Heaven
A banda britânica aproveitou que precisava fazer a divulgação de sua nova empreitada, os quadrinhos Mylo Xyloto, e fez um videoclipe que nos introduz à história
Entrevista: Mordomo
Banda de Belo Horizonte, formada por integrantes do grupo Vitrolas, estreia com exclusividade no Música Pavê uma nova música, "Musley", enquanto conta mais sobre seu trabalho

Curtiu? Comente!

Comments are closed.

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com