Feist – How Come You Never Go There

A canadense Feist se transformou em uma figura mítica para o clipe How Come You Never Go There.

Esse “status” sobre-humano é construído em primeiro lugar pela cabeleira exótica (e, caso você não a conheça, artificial) que chega quase aos seus pés, o que por si só já produz a imagem fantástica (no sentido original do termo, “de fantasia”). O próprio preto-e-branco já quebra a barreira do naturalismo (afinal, sabemos que o mundo de verdade possui cores), mas é a direção quem mais se empenha na construção do mito.

Por muito tempo no vídeo, o rosto de Feist está coberto pelo cabelo e ela parece até mesmo fugir da câmera, despertando cada vez mais o fascínio e a curiosidade de vê-la por inteiro. Quando ela finalmente é enquadrada, o plano é muito aberto e não a vemos de perto.

Ainda mais se considerarmos que grande parte do público da cantora estabelece uma relação emocional com o seu som, o clipe trabalha bem a percepção sensorial da canção, colocando seu trabalho em um plano superior ao da mera existência.

 

Avaliação MP:  3.5/5 ★★★½☆ 

Shuffle

Madeon + Passion Pit - Pay No Mind
Produção futurista mostra primeira parte da saga de um casal de jovens que planeja fuga de uma cidade enquanto observa e interage com uma construção que se fragmenta
Banda do Mar - Dia Clarear
Fred, Mallu e Marcelo contemplam a paisagem de um Rio de Janeiro pouco urbanizado e convidam o espectador a entrar no clima sossegado desta sua composição
Kendrick Lamar - Alright
Em uma realidade tomada por racismo e violência policial, rapper não perde o sorriso e manda seu recado sobre esperança em um videoclipe de cenas marcantes e belíssimas

Curtiu? Comente!

One Comment on “Feist – How Come You Never Go There

  1. achei a fotografia linda por demais, de muito bom gosto.
    mas não sei ser imparcial quando o assunto é feist, né.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.