Coletânea: The Daniels

A dupla Daniel Kwan e Daniel Scheinert, ou The Daniels, como ficaram conhecidos, tem sido um dos nomes mais hypados da cena videoclíptica internacional ao mostrar o quanto sabe orquestrar o mais complexo dos roteiros e entregar um vídeo com um grande fator espetacular, agradando amplamente o público, os músicos e os engravatados que pagam as contas. Prova disso foi o grande Simple Math da Manchester Orchestra (2011), que rende até hoje indicações e prêmios para os dois ao redor do mundo, incluindo no VMAs (e eleito o melhor do ano pelos leitores do Música Pavê). Eles gostam de trabalhar, geralmente, com uma câmera livre que às vezes parece balançar por eixos diagonais dentro do cenário, criando ângulos inusitados para contar suas histórias cheias de elementos. Reunimos seus trabalhos em uma coletânea, incluindo o novo clipe da Tenacious D, que estreou essa semana, para que você possa conhecer mais da genialidade dos caras. Confira também estes outros vídeos de sua autoria:

Foster the People – Houdini

Mark Foster + Kimbra + A-Trak – Warrior

The Shins – Simple Song

Manchester Orchestra – Simple Math

Foster the People – Color on the Walls (Don’t Stop)

Battles – My Machines (2011): Um tombo em uma escada rolante ganha proporções quase catastróficas nas mãos dos diretores, que não perdem o bom humor, nem a mão na hora de equalizar todos os elementos em cena neste falso plano-sequência.

FM Belfast – Underwear (2010): Em seu primeiro videoclipe, a banda brincou com o movimento tanto dos atores, quanto da própria câmera ao criar cenas com uma luz direta e pirar na ilha de edição com diferentes velocidades de rotação e de corte. Dá pra ver que eles já tinham um domínio interessante dessas técnicas, mas faltava a experiência da narrativa complexa que eles adquiriram mais tarde.

The Hundred in the Hands – Pigeons (2010): Uma menina bebe demais e sai da festa para ir andar pela cidade. Mais uma premissa simples transformada em um grande acontecimento pelos diretores, que repetem as brincadeiras com a edição do vídeo anterior, mas agora desafiando a gravidade.

Chromeo – When The Night Falls (2011): Um dos clipes mais divertidos já feitos pela The Daniels mostra a dupla canadense tocando em um bar onde toda mulher tem uma gravidez espontânea só de olhar para os músicos. Tudo vira uma grande perseguição com direito a um final feliz e “fofo”. Um bom cartão de visita para a banda mostrar seu dinamismo e bom humor.

The Hundreds in the Hands – Commotion (2010): Em seu segundo trabalho com a banda, a dupla continuou aprimorando seu estilo ao brincar com movimento repetido e cortes que iludem o espectador na mudança de uma sequência para a outra. Tudo isso foi para poder trabalhar com algumas emoções mais sérias que essa música pedia, algo que eles não tinham feito até então.

Tenacious D – Rize of the Fenix (2012): Mesmo dominando as narrativas mais sérias tão bem, o humor parece ser o campo em que a dupla se sente mais à vontade para criar. Convocados para comandar a ação do primeiro clipe do novo disco da banda, Daniel e Daniel resolveram brincar com a metalinguagem desde o início, brincando com o processo de gravar um clipe e atingindo o mesmo nível de piração que a música tem. Certamente, um dos clipes mais divertidos do ano.

Curta mais da dupla The Daniels:

Foster the People – Houdini

Mark Foster + Kimbra + A-Trak – Warrior

The Shins – Simple Song

Manchester Orchestra – Simple Math

Foster the People – Color on the Walls (Don’t Stop)

E curta outras coletâneas de clipe no Música Pavê

Shuffle

Volcano Choir - Tiderays
Banda de Justin Vernon (Bon Iver) investe em um videoclipe bonito e sensível que mostra um grupo de bailarinos cujas silhuetas tem imagens do mar e de suas ondas
Playlist: Noite o Dia Todo
Porque a vida é curta demais pra festa não ser estendida para qualquer hora, eis 50 minutos de músicas com boas vibrações pra te dar pique e alguns sorrisos durante o trabalho
Madeon + Passion Pit - Pay No Mind
Produção futurista mostra primeira parte da saga de um casal de jovens que planeja fuga de uma cidade enquanto observa e interage com uma construção que se fragmenta

Curtiu? Comente!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.