Coletânea: Clipes com Crianças

“Brincadeira de criança, como é bom”, já dizia o poeta popular, inspirando muitos produtores e diretores a escalarem crianças para estrelarem seus videoclipes. Vira e mexe, temos clipes assim por aqui (e você pode acessá-los facilmente através da tag “crianças“), mas estava na hora de reunirmos alguns muito especiais em uma coletânea. Então vamos lá, retorne à infância com estes vídeos inspirados e protagonizados pelos pequenos.

Is Tropical – The Greeks (2011)

A época em que nossa imaginação é mais fértil foi devidamente homenageada neste vídeo feito pelo grupo Megaforce. Nele, um grupo de meninos brinca de mocinho e bandido/traficante/terrorista e nós podemos participar de toda a ação pelo ponto de vista deles. Genial e divertidíssimo.

The Spinto Band – Take It (2012)

Esta dica veio do nosso parceiro Oh My Rock, que publicou o vídeo na semana passada. Ele mostra quatro crianças super concentradas em seus jogos e na zuação do gordinho perdedor – que dá um jeito de virar o placar de uma maneira muito única. Impossível não se simpatizar com o garoto.

Blind Melon – No Rain (1993)

Por falar em se simpatizar pelo protagonista, pra quem viveu os anos 90, é praticamente impossível ouvir “videoclipe com criança” e não se lembrar da menina vestida de abelha sendo humilhada em uma apresentação. O clipe, dirigido por Samuel Bayer, foi um dos responsáveis pelo grande sucesso dessa música naquela época e marcou seu espaço na história da MTV.

Alanis Morissette – Ironic (1996)

Este é outro que marcou época. Ele é, na verdade, a segunda versão para o clipe dessa música, já que a primeira trazia exatamente o mesmo roteiro (e os mesmos planos, tudo igual), só que estrelado pela própria Alanis. Ou seja, o que já era bem legal, o diretor Stéphane Sednaoui conseguiu deixar ainda melhor.

O Rappa – A Minha Alma (1999)

Ainda na vibe “marcou época”, este vídeo ganhou vários prêmios no VMB e se destacou três anos antes do lançamento de Cidade de Deus ao mostrar alguns dos atores mirins do filme (tirados de um projeto que ensinava artes cênicas em comunidades carentes do Rio) em uma situação de intolerância e preconceito diante de um mal entendido.

Will Smith – Just the Two of Us (1998)

O ator/rapper convidou seu filho mais velho, Trey, para participar do clipe  para a música que o papai Smith fez em homenagem ao seu primogênito. Durante o vídeo, vários pais são vistos com seus filhos – inclusive a atriz Jada Pinkett, que estava grávida de Jayden Smith, que futuramente seguiria os passos do pai em uma carreira dupla em cinema e música.

Sigur Rós – Viðrar Vel Til Loftárása (2001)

Para fechar a coletânea, uma produção mais triste do que as anteriores. O polêmico vídeo mostra dois meninos apaixonados um pelo outro na Islândia dos anos 1950. A beleza do clipe está em seus maravilhosos planos em câmera lenta e na ingenuidade dos garotos.

Mais Videoclipes com Crianças:

Foster the PeopleHelena Beat

Bowerbirds   – Tuck the Darkness In

M83Midnight City

Kings of Convenience – I’d Rather Dance With You

Bon Iver – Holocene

Scissor Sister + Azealia BanksShady Love

Curta mais Coletâneas de videoclipes no Música Pavê

Shuffle

O Que a Música Pode Fazer Por Você
Nada de narcóticos: nossa viagem é feita por acordes, ritmos e harmonias. Sabe aquela música que começa a tocar do nada e você é transportado para outro tempo e lugar?
Rodrigo Amarante - Tardei
Com belíssimas cenas protagonizadas pelo músico (que co-dirigiu a obra), produção ilustra a canção sobre jornadas e destinos de forma subjetiva e sempre contemplativa
Charles Bradley - Ain't It A Sin
Com figurino marrento e fotografia cheia de sombras, clipe consegue colocar o carisma do artista em primeiro plano enquanto ele interpreta sua canção de corpo e alma

Curtiu? Comente!

2 Comments on “Coletânea: Clipes com Crianças

  1. Pingback: Vanguart – Mi Vida Eres Tu : Música Pavê

  2. Pingback: Resumo da Semana: 19-23/03 : Música Pavê

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.