Keaton Henson, Certeza de Inspiração

keaton henson

Ontem à noite, voltando pra casa, meu querido amigo shuffle (aquele que mora no meu celular) me mandou duas músicas, em momentos relativamente próximos, do inspirador Keaton Henson. Quando a primeira tocou, foi inevitável lembrar de situações que vivi que parecem ser narrados ali com aquela emoção que ele sabe tão bem imprimir em sua interpretação. Na segunda, pensei não em mim, mas nele. Lembrei da primeira vez que vi o clipe de Small Hands e aquela que é obviamente minha recordação favorita sobre o artista: quando lhe entrevistei e ele, em sua timidez e excentricidade, respondeu por desenhos. Mal sabia eu que chegaria em casa e encontraria motivos pro moço não sair da minha cabeça de vez.

Isso veio por uma mensagem que uma amiga/irmã amadíssima (uma que infectei com o vírus Keaton há mais de um ano) me deixou, apenas com um link para um vídeo. Um que tive que ver, rever, dar um tempinho e voltar para mais duas vezes, pra ter certeza que era aquilo mesmo que eu tava vendo. Trata-se de um curtametragem feito por William Williamson, diretor que, além de ter o melhor nome do mundo, é parceiro de longa data do senhor Henson. Veja (preferencialmente em tela cheia) e eu continuo a te contar em seguida.

Williamson já tinha dirigido o clipe de You, mas não era o suficiente. A música de Keaton Henson fica impressa na alma como poucas ficam – eu mesmo já citei suas faixas para explicar pra alguém, mesmo que para mim mesmo, coisas que penso ou sinto -, isso por conta do alto grau de sinceridade que sua arte carrega (seus desenhos também possuem as mesmas características). Quando surgiu a chance do diretor realizar um curta para a TV, foi essa música que lhe inspirou e toda a narrativa foi construída ao redor dela.

O que vemos é apenas o ator Derek Jacobi entoando brilhantemente a letra da música, enquanto cenas com certo grau de aleatoriedade são intercaladas ao seu discurso, como uma avalanche de memórias que uma declaração dessas pode gerar tanto em quem pronuncia a mensagem, quanto em quem a ouve.

É envolvente, é emocionado. Faz querer sentir sem medo, faz querer criar coisas bonitas, faz querer pegar os discos e ouvir Keaton de novo. Recomendo.

If you must wait,
Wait for them here in my arms as I shake.
If you must weep,
Do it right here in my bed as I sleep.

If you must mourn, my love,
Mourn with the moon and the stars up above.
If you must mourn,
don’t do it long.

If you must leave,
Leave as though fire burns under your feet.
If you must speak,
Speak every word as though it were unique.

And if you must die, sweetheart,
Die knowing your life was my life’s best part.
If you must die,
Remeber your life

Because you are all.

If you must fight,
Fight with yourself and your thought in the night.
If you must work,
work to leave some part of you on this Earth.
And if you must live, darling one,
Just live.

Curta mais de Keaton Henson no Música Pavê

Shuffle

Cover: The Ting Tings canta Lana del Rey
Banda inglesa foi cantar num programa de rádio e escolheu para cover justamente uma canção que por si só já não é das melhores, e ainda adicionou trechos de outra música e um verso gritado do Skrillex. Desastre: Sim ou óbvio?
Apanhador Só Feito à Mão
Como "recompensa" do financiamento coletivo de "Antes que Tu Conte Outra", a banda gaúcha enviou para alguns colaboradores peças únicas feitas artesanalmente pelos músicos
Rodrigo Amarante - Mon Nom
Músico comenta sua experiência como estrangeiro em Los Angeles através de animação feita por ele mesmo, que traduz em imagens (e em inglês) a solidão de estar em outra terra

Curtiu? Comente!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com