Entrevista: A Banda Mais Bonita da Cidade

Exatamente sete meses depois da primeira vez que conversamos, pude bater um papo com Vinicius Nisi, o tecladista da Banda Mais Bonita da Cidade (o segundo na foto, da esquerda para a direita). Naquela vez, o vídeo Oração tinha acabado de bombar e colocou o grupo em evidência no Brasil inteiro. Agora, com um belo disco lançado (após crowdfunding pelo Catarse), shows em diversas cidades (incluindo em Portugal e França) e participações em várias mídias, a banda segue trabalhando para se distanciar da ideia de ser “apenas um hype da Internet, disponibilizando a beleza de sua música (que eles brincam definir como “Canções Melodramáticas”) em download gratuito. Sem dúvidas, uma das caras da música em 2011. Confira a entrevista feita por telefone logo abaixo.

Oração

Música Pavê: Vinicius, hoje faz exatamente sete meses que nós conversamos pela primeira vez.

Vinicius Nisi, da Banda Mais Bonita da Cidade: É mesmo? E faz exatamente sete meses e um dia que postamos Oração.

MP: Pois é! Naquele dia, você me disse que vocês estavam todos “à flor da pele, querendo aproveitar a maré, mas com medo de fazer besteira, porque tudo isso é muito novo” pra vocês. E agora, como estão?

Vinicius: Então, nos últimos meses até agora a gente tá muito à flor da pele, aprovietando a maré, mas com medo de não fazer besteira porque tudo é muito novo (risos). Não mudou muita coisa não, a gente tá vivendo uma grande sobrevida de Oração que a gente tem que aproveitar, vivendo a vida como banda e tomando cuidado com nossa carreira, como a gente teria feito se não tivesse tido tudo isso, pensando as atitudes que temos que tomar sem deixar isso mudar a maneira que a gente pensa sobre nosso trabalho.

MP: Como foi realizar a experiência de produzir o disco através do financiamento coletivo?

Vinicius: Foi muito legal! Era um grande desafio, um tiro no escuro, a gente não sabia se alguém ia entender o que a gente estava propondo, ou se alguém ia colaborar. E, no fim, deu super certo sim, só uma das músicas não conseguiu o financiamento, mas tudo bem, porque a gente já estava planejando lançar uma música de brinde – que, no caso, foi Se Eu Corro.

Se Eu Corro

MP: Ter estourado na Internet implica na maneira que vocês se relacionam com o público, mais diretamente do que bandas que trilham outros caminhos?

Vinicius: Foi natural. O público que compartilhou Oração fez isso pelas Redes Sociais, e a gente assumiu que essa seria a maneira com que a gente se relacionaria com eles – Facebook e um pouco também pelo Twitter. Lá a gente acompanha toda a repercussão daquilo que a gente faz, e o pessoal compartilha reportagens feitas em outros estados e que a gente nem ficou sabendo. É legal, é um feedback importante e a gente conhece o público, a gente sabe exatamente quem ouve a banda.

MP: Vocês se preocupam em se mostrar como uma “banda de verdade” e não como um “hype da Internet”?

Vinicius: A gente sempre se portou mais como banda do que como um hype da Internet. A gente não martela muito no nosso YouTube, ou fica tentando fazer outros vídeos como Oração pra ver se bomba. A gente continua como banda e se sustentando como banda: Fazendo shows, gravando disco… Oração é encarado como mais um vídeo, por mais legal que tenha sido pra gente. Quem acompanha a banda, mesmo quem só conheceu depois do estouro, sabe como é.

MP: Como foi a experiência de tocar na Europa?

Vinicius: Olha, foi surreal! O disco ainda não está sendo distribuído por lá, é tudo só pela Internet, aí a gente chegou e foi fantástico, as pessoas conheciam nosso trabalho, nos trataram super bem, fomos muito bem acolhidos – o povo nos tratou como se fôssemos de lá. E foi um choque. Na primeira música do primeiro show, me deu um choque. Eu pensava: “A gente tá aqui fazendo um show em outro continente!” (risos). E o pessoal gostou muito. Era um pessoal que acompanhava, que sabia as músicas. Não eram curiosos, ou gente que não conhecia as músicas.

A Balada da Contra Mão (clipe em 3D feito para a LG)

MP: Vinicius, explica pra gente o que é isso de “Canções Melodramáticas”?

Vinicius: (Risos) A gente não tem muito bem um termo que define a nossa música. A gente nunca pensa muito nisso quando faz os arranjos ou grava, “ta muito rock”, ou “tá muito MPB”, “isso não tem a nossa cara” – NÃO, a gente faz como a gente quer fazer, daí a gente virou e fez esse termo. Foi engraçado e forçado – como a gente gosta (risos) – e ficou divertido e diferente das outras bandas. É irônico e, ao mesmo tempo, tem o cunho da musica que a gente faz.

MP: E em 2012, o que vai acontecer para A Banda Mais Bonita da Cidade?

Vinicius: Em 2012, a gente vai batalhar pra fazer o máximo de shows e divulgar o disco pelo Brasil. Vamos ver como acontecem as coisas, talvez a gente lance um DVD, ou uns especiais, vamos ver (risos). A questão é fazer shows, esse é o principal.

(Créditos das fotos: Capa – Marco Novack/Essa aqui acima – Rosano Mauro Jr.)

 

Veja mais da série As Caras de 2011 e mais entrevistas exclusivas no Música Pavê

Shuffle

Desa: Para Desanuviar o Primeiro CD Autoral
Conheça a cantora alagoana, residente em São Paulo, que promove financiamento coletivo para mixar, masterizar e prensar seu primeiro álbum de canções autorais
Cobertura: Lollapalooza Brasil 2015
Nossa equipe se espalhou pelos dois dias do festival (além da transmissão pela TV) para comentar alguns dos nossos shows favoritos dessa edição do evento em São Paulo
Coldplay - Up&Up
As cenas mais bonitas da temporada vem sob forte inspiração surrealista neste videoclipe com jeitão de vídeo publicitário, mas que sabe arrancar um belo sorriso do espectador

Curtiu? Comente!

One Comment on “Entrevista: A Banda Mais Bonita da Cidade

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com