Dez Bandas Indie para Você Ouvir Hoje

peach pit

Eis um tópico precioso para os leitores do site, pois traz um grande leque de artistas de um dos estilos favoritos por aqui: Indie. De bandas que mais parecem um Arctic Monkeys do início de carreira reencarnado até tons mais pop, nostálgicos e/ou psicodélicos, esta pequena seleção tem tudo para agradar em cheio quem curte esses sons.

Peach Pit

A banda canadense é uma das que mais se destacam em sua terra, trazendo um indie original e bem sólido, que soa também um tanto nostálgico. As letras tem um tom poético e introspectivo, muito diferente de como os integrantes interagem de forma cômica na Internet, como em seus anúncios de turnês. Vale a pena dedicar um tempo do seu dia para conhecer e talvez até acompanhr o grupo para dar boas risadas. Seu único álbum até agora, Being So Normal, traz uma narrativa bem concisa e sonoridade apaixonante.

The Brittanys

Da lista, The Britanys é a mais indie raiz, com melodias que nos lembram The Libertines e Arctic Monkeys em seus primeiros álbuns. A inflûencia pode ser notada na voz do vocalista, que lembra bastante Alex Turner. É uma boa pedida pra quem está com saudades e queria mais trabalhos como essas bandas faziam antigamente.

Coast Modern

O duo norte-americano é um dos que mescla indie rock com pop nesta lista. Podemos notar uma similaridade com The Neighbourhood, principalmente no jeito que a voz carrega os versos. Com um pop envolvente, as letras são reflexivas, aliadas de uma boa arte em suas capas.

Boy Pablo

Nicolas Pablo Muñóz estourou logo após o algoritmo do YouTube indicar seu projeto Boy Pablo para milhares de pessoas. Sua sonoridade dialoga com influências de The Smiths, tendo um tom melancólico e, ao mesmo tempo, agitado.

Yellow Days

O britânico George Van Den Broek encabeça seu projeto Yellow Days, que nos entrega um indie também mais melancólico. Em seu primeiro EP, Harmless Melodies (2017), o que fica mais evidente é a sua voz potente, nitidamente influenciada por grandes vozes do blues e do soul, como Ray Charles.

The Growlers

Estes californianos se formaram em 2006, mas nunca tiveram o mesmo sucesso no Brasil que têm nos Estados Unidos. A banda é uma das mais experientes dessa lista, com seis álbuns, sendo o último de 2016, City Club. Com uma carreira concreta, podemos notar as suas mudanças e evoluções de um trabalho para o outro.

King Princess

Mikaela Strauss transita entre o indie e o pop, dialogando com o público sobre temas que por muito tempo foram oprimidos – e ainda seguem assim por uma parte da sociedade. Tudo isso é realizado com uma sonoridade que consegue fazer parte do mainstream, lembrando vários dos nossos favoritos em suas músicas.

Snail Mail

Lindsey Jordan mergulha nos anos 1990 aliada de um dos estilos mais em voga no momento: o dreampop. Com uma lírica bem pessoal, nos mostra um indie contemporâneo claramente bem difundido no mundo da música.

Jaunt

Jaunt mistura o indie contemporâneo com a psicodelia, resultando no que o ouvinte pode perceber uma similaridade com Mac Demarco, conterrâneo canadense da banda. A bela forma de exercitar o lo-fi com leveza também se faz presente na sonoridade de sua obra, que vai agradar quem gosta de nomes como Grizzly Bear.

Matty

Mais um artista que soma na cena indie lo-fi psicodélico, Matthew Tavares tem bagagem musical, tendo fundado a banda BadBadNotGood. Explorando as novas tendências do alternativo, tem tudo para tomar um tempo do ouvinte de gente como Tame Impala.

Shuffle

Curtiu? Comente!

Comments are closed.

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com