Cinco Músicas Brasileiras Mais Bonitas de 2016

Entra ano, sai ano e a tarefa de escolher as cinco músicas brasileiras mais bonitas permanece tão difícil quanto o conceito da seleção mostra-se subjetivo.

Entre faixas românticas, algumas melancólicas e outras plenamente divertidas, os doze meses renderam composições cheias de poesia e alta agradabilidade – aquela qualidade que te faz querer ficar ouvindo uma mesma música no repeat por tempo indefinido, seja para dançar, chorar ou sorrir que nem bobo.

Mais do que apenas apontar as escolhidas, existe a missão de entregar uma lista que fique boa por si só para além da polêmica que uma publicação dessas carrega naturalmente. Depois de muita análise, eis então a seleção final das cinco brasileiras mais bonitas de 2016.

(Veja também as listas de 2015, 2014, 2013, 2012 e 2011)

##Céu – Camadas

Sob a interpretação elegante da cantora, a música co-escrita por Fernando Almeida (Dinho, da banda Boogarins) comenta o prazer de um lado, privilégio de outro, no ato de poder abrir sua intimidade para alguém que desvenda a sinceridade de suas “camadas”. Figuras de linguagem bastante palpáveis, como a luz do sol e o despir da fala, são amparadas por um baixo sedutor e timbres de cordas. Serve para romance, amizade ou qualquer outra relação de alma para alma.

##Mahmundi – Azul

Marcela Vale é fluente na linguagem da canção pop, e Azul vem sem defeitos: Refrão de versos simples, estrutura de estrofes baseadas em um mesmo termo (“quando”) e tempo verbal – tudo tão bem desenhado que você chega a duvidar de sua sinceridade, mas parte da sedução é justamente essa. Não é à toa que ela traga um momento de “esfriar” os ânimos antes do fim, tamanha a imersão no universo romântico e radiofônico, aquele com ares deliciosos de nostalgia, que ela proporciona.

##Fernando Temporão – Sem Fantasia

Eis outra composição sobre olhar para além das aparências. A música, de autoria de Temporão e César Lacerda, brinca com métricas e dissonâncias para retratar a sensação de exposição que narra, o misto de desconforto e beleza que é a honestidade. Curtinha e sem refrão, é o tipo de canção que, mesmo depois de ouvida dezenas de vezes, ainda causa um arrepio em seu clímax.

##Baleia – Véspera

“Te dizer adeus é o maior amor que eu sei” – a primeira música assumidamente romântica lançada pela banda carioca narra o momento em que duas pessoas se desligam de um relacionamento, quando “sobrou nada a dizer” a não ser um sorriso estranho na “fratura exposta de um sonho” que nunca se concretizará. Sem as percussões de costume, a ambientação é feita pelo violão e pelos muitos timbres convidados, como o do violino e instrumentos de sopro aqui e ali até os versos “deixa o sonho dormir, deixa outro nascer”. De encher a alma e os olhos.

##O Terno – Não Espero Mais

Para fechar a lista, um clima bastante diferente e otimista. Se Volta é a mais citada de Melhor do que Parece, Não Espero Mais é aquela música cujo carisma te conquista desde a primeira audição. Pop felizão sobre um romance que está dando muito certo – “não posso crer, mas acho que é a minha vez de ser feliz” -, do tipo que alguns chamarão de “ingênuo”, outros de “fofo”. Por aqui, convenhamos, é de uma beleza encantadora.

Menções mais que honrosas:

. Wado – Amanheceu

. Bruna Mendez – Sorte

. Terno Rei – Circulares

. Francisco, el Hombre – Triste, Louca ou Má

(Veja também as listas de 2015, 2014, 2013, 2012 e 2011)

Curta mais de: Céu | Mahmundi | Fernando Temporão | Baleia | O Terno

Shuffle

Mallu Magalhães - Velha e Louca
"Eu tô em outra, eu tô ficando velha, eu tô ficando louca", canta ela enquanto dança e paquera a câmera no alto de um arranha-céu em São Paulo, no videoclipe que melhor marca a mudança definitiva na carreira da cantora paulistana
Saiu: "/remix6" com Bruna Mendez e Carne Doce!
Duas bandas da mesma cena - a da cidade de Goiânia - aceitaram o desafio de dar uma nova cara às suas próprias composições e o resultado é um ótimo single para download gratuito
Mombojó + Laetitia Sadier - Summer Long
Clipe de temática subjetiva e alto teor poético mostra um personagem enclausurado no mesmo espaço em uma percepção invertida e interessante da passagem do tempo

Curtiu? Comente!

Comments are closed.

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com