Cinco Bateristas Multiuso

Assumir as baquetas de uma grande banda de Rock é uma responsabilidade imensa para qualquer baterista, diga-se de passagem, mas eletrizar atrás dos tambores e pratos, dando o ritmo a qualquer canção que se preze parece não bastar para a trupe batuqueira selecionada nesta lista. Eles querem mais: aprenderam a cantar, tocar guitarra, piano e até fazer um café, e pra ser multiuso como esses bateristas são, esse é o mínimo que se precisa saber fazer, pois afinal eles formaram e assumiram a liderança de suas próprias bandas, paralelamente aos seus conjuntos principais. Com o par de baquetas sem uso em cima da caixa, apresento-lhes 5 bateristas multiuso da música:

Dave Grohl 

Claro que o Mr. Grohl iniciaria esta seleção em grande estilo, afinal ele é o baterista mais multiuso que conhecemos. Após assumir as baquetas de uma das maiores bandas de todos os tempos, Nirvana, Dave resolveu, após o trágico suicídio de Kurt Cobain que levou ao fim da banda, continuar a carreira musica,, e assim o Foo Fighters surgiu. Sabendo alguns acordes de guitarra e cantar razoavelmente bem, Dave disse a si mesmo “não se reprima” e gravou e produziu o primeiro álbum da banda sozinho! Só depois o grupo foi efetivamente formado, quando outros músicos se juntaram ao projeto, como o ex-guitarrista do Nirvana Pat Smear. Palmas para Dave Grohl, a lenda.

Phil Collins

É, nem preciso dizer que Phil é o cara. Todo mundo sabe disso, principalmente nossos pais que dentro dos seus carros movidos à álcool (saudosos anos 1980 e 1990), sintonizavam as rádios que imediatamente tocavam “Against All Odds” ou “Another Day In Paradise”, e acabávamos gostando das músicas doces e suaves do ex-baterista do Genesis. O quê? Baterista do Genesis? “É, meu amigo” (como já dizia Galvão Bueno), Phil era baterista da banda de Rock Progressivo inglesa formada nos anos 1970 e ficou lá assumindo as baquetas por anos, até que resolveu um dia soltar o gogó e emplacar uma das carreias solo de maior sucesso na história da música! Phil é eterno em nossos corações, afinal, todos nós crescemos ouvindo suas composições (pelo menos, quem tem entre 20 e 30 anos de idade sabe do que estou falando). Phil é rei!

Ringo Starr 

Dispensa-se comentários, explicações e qualquer outra coisa a respeito do eterno baterista da The Beatles. Ringo Starr foi o cara responsável por mostrar ao mundo a importância dos bateristas para a música, em todos os seu estilos. Aquele lance de ficar lá atrás, isolado, batucando como se nada estivesse acontecendo acabou quando Ringo apareceu ao mundo como parte criativa integral da banda e, engatando a primeira, ele já colocou logo a terceira, quarta, quinta e foi embora, se lançando numa curiosa carreira solo, após o fim dos Beatles, e que até hoje dura. Ringo formou sua própria banda, na qual canta, toca piano, dança, pula, dá cambalhota e não duvido nada que faça café. Não poderia faltar o Ringão nessa seleção. (Tum Tum, PSH!)

Ronnie Vanucci

Quem diria que o tranquilo e quieto baterista do The Killers se enquadraria nesta lista, mas ele se enquadra muito bem aqui. Foi uma surpresa até pra mim saber que Ronnie Vanucci lidera uma banda, a Big Talk, na qual assume os vocais e guitarras com muita destreza. Fazendo um Rock bem alternativo e contemporâneo, com guitarras fortes e seu vocal rasgado e bem afinado, ele merece atenção e respeito, pois, afinal, pra ele não basta assumir as baquetas de uma das bandas mais marcantes dos anos 2000, ele tem que se arriscar em outros projetos assim como os outros bateristas citados aqui. Tem alguma coisa na água que esses caras bebem que os motivam assim, ou quem sabe nos hidrotônicos que eles tomam? Tiro o meu chapéu para o senhor Vanucci.

Taylor Hawkins 

Dave Grohl com certeza fez um café batizado e ofereceu ao baterista de sua banda, que, sem saber de nada, bebeu com vontade. A xícara continha três gotas apenas do remédio Multiusovocalol, que provocou reações adversas no músico, que saiu por aí cantando com sua voz rasgada, forte e extramente afinada. Taylor então criou um projeto paralelo Taylor Hawkins and The Coattail Riders para extravasar esses efeitos colaterais do medicamento. O batuqueiro da banda do também batuqueiro Dave Grohl gravou os vocais de algumas canções do Foo Fighters, canta ao vivo nos shows e mostrou ao mundo no DVD da banda Live At Wembley Stadium, de 2008, sua força vocal ao cantar Rock’n’Roll com os mitos Jimmy Page e John Paul Jones como participantes especialíssimos dessa festa e é claro que Dave foi pra bateria nesta hora. Um momento épico. Grande Hawkings!

Curta mais listas 5+ no Música Pavê

Shuffle

Curtiu? Comente!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.

Contato

fale@musicapave.com