David LaChapelle e seus retratos do mercado fonográfico

Poucos nomes são tão presentes e relevantes para a Fotografia nas últimas duas décadas como David LaChapelle. Seu estilo é referência no mundo da Moda e logo fez escola também nas fotos de músicos, seja em editoriais (como os da revista Rolling Stone), capas de discos ou imagens de divulgação.

Seu trabalho capta, como poucos, a extravagância da indústria fonográfica norte-americana. Em suas fotos, os artistas viram personagens achatados em um mundo claustrofóbico, sob uma erotização artificial e cores fantásticas. Tudo é tão anti-naturalista quanto Hollywood.

E não se engane pela conotação negativa que essas frases trazem. É difícil não ser cativado pelo trabalho desse mestre, que também se destaca na produção e direção de vídeos publicitários e videoclipes. A variedade de estilos musicais de seus retratados é pasteurizada em seu olhar fashion, que adquire dimensão e diversidade nos temas, cores, ângulos e composições de suas obras, mesmo que feitas no mesmo formato.

Aprecie na galeria abaixo um pouco do trabalho de David LaChapelle. Vale a pena visitar seu site oficial e ver mais fotos destes músicos, assim como seus trabalhos em outras áreas.

Veja mais de David LaChapelle no Música Pavê

Shuffle

Capas de Disco Feitas de Lego
Conheça o grupo do Flickr LEGO Album Covers, que traz fotografias recriando famosas capas de discos utilizando esse que é um dos mais criativos e divertidos brinquedos do mundo. O resultado vai colocar um sorriso no seu rosto, com certeza
Capa x Clipe
Às vezes, as artes que acompanham os álbuns inspiram também os videoclipes. Veja uma coleção de momentos em que as capas parecem ganhar vida nas telas
Fotógrafo revela a grade dos shows
Série fotojornalística "Linha de Frente", feita por Gabriel Quintão, mostra o que acontece com os fãs espremidos na primeira fileira do público em frente ao palco

Curtiu? Comente!

2 Comments on “David LaChapelle e seus retratos do mercado fonográfico

  1. Adoro! Já conhecia algumas, como a do Eminem – acho que foi capa de alguma revista? – e da Mariah Carey – se não me engano, era o encarte traseiro do CD “Rainbow” (heh, ganhei do Natal quando criança) – e vários outros me pareceram familiares, mas gostei especialmente dos que nunca tinha visto… Principalmente os da Christina Aguilera e John Mayer, que somam a essa artificialidade uma melancolia que, ao mesmo tempo que soma-se ao falso, ao exagerado, acaba por isso mesmo parecendo mais real… (como a dor de estar enclausurado nesse mundo).

  2. Pingback: Florence + The Machine – Spectrum : Música Pavê

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Sobre o site

Feito para quem não se contenta apenas em ouvir a música, mas quer também vê-la, aqui você vai encontrar análises sem preconceitos e com olhar crítico sobre o relacionamento das artes visuais com o mercado fonográfico. Aprenda, informe-se e, principalmente, divirta-se – é pra isso que o Música Pavê existe.